Recursos Hídricos

Evolução natural dos recursos hídricos nas áreas agrícolas

A integração das técnicas agronômicas, promovidas em nosso sistema de produção, resultou também em uma contribuição relevante aos recursos hídricos nas áreas agrícolas. A permanente cobertura do solo com canaviais e suas palhas, ou com as culturas em rotação, reduz a perda de água por evaporação, além de elevar as capacidades de retenção e de infiltração de água no solo, pelo acúmulo de matéria orgânica e pela reconstituição de sua bioestrutura, ou seja, porções equilibradas de terra, água, ar, matéria orgânica e vida no solo.

Estamos certos de que o Projeto Cana Verde contribuiu efetivamente para aumentar o fluxo de água doce nos mananciais que nascem ou passam pelas fazendas.

Há dois casos emblemáticos que comprovam definitivamente esta nossa afirmação. Nas fazendas Santa Rita e Água Branca, haviam canais vegetados originalmente construídos para drenar o excesso de água no período de verão, quando ocorrem chuvas intensas nesta região. Anos após a implantação do Projeto Cana Verde nessas fazendas, o fluxo de água doce nestes canais passou a ser permanente, persistindo inclusive durante o inverno. Para proteger estes novos mananciais, reflorestamos suas margens estabelecendo uma mata ciliar adequada.

Concomitantemente, o parque industrial da Usina São Francisco investiu pesadamente ao longo dos anos para reduzir o uso de água na produção de açúcar e álcool. Desde 2001 até hoje, o volume de água necessário para processar uma tonelada de cana caiu de 16m³ para 1,5m³, conforme demonstrado na tabela e gráficos a seguir.

Evolução do uso de água no processo industrial Usina São Francisco

Período Fato Uso de água
(m³/t. cana)
Volume poupado
(m³/ano)*
Até 2001 Até 200116,06 --
2002 a 2010Interrupção lavagem de cana15,70540.000
2011 a 2016 Fechamento circuito destilarias 10,80 7.890.000
2017 a 2018Condensador evaporativo 6,27 14.685.000
2019 em diante Fechamento circuito fabricação 1,00 21.840.000